CARRO BLINDADO. PERGUNTAS E RESPOSTAS

PERGUNTAS FREQÜENTES DOS INTERESSADOS EM BLINDAR UM CARRO

 .POSSO BLINDAR SOMENTE OS VIDROS?

pODE, MAS NENHUMA EMPRESA RECOMENDA. GASTA-SE MUITO DINHEIRO (CERCA DE 70% DE UMA BLINDAGEM COMPLETA) PARA POUCA PROTEÇÃO.

COMO É FEITA À ASSISTÊNCIA TÉCNICA?

HÁ EMPRESAS QUE OFERECEM A MANUTENÇÃO ATÉ MESMO EM FINAIS DE SEMANA. O IMPORTANTE É VER EM QUANTO TEMPO A OFICINA DEVOLVE O CARRO.

QUAL A GARANTIA DAS EMPRESAS?

OS DEFEITOS APRESENTADOS NA BLINDAGEM SÃO COBERTOS POR ATÉ DOIS ANOS. O PROBLEMA MAIS FREQÜENTE SÃO PEQUENAS BOLHAS NOS VIDROS. ELAS APARECEM NOS ESPAÇOS ENTRE AS LÂMINAS SUPERPOSTAS.

O AUMENTO DE PESO NO CARRO INFLUENCIA A DIRIGIBILIDADE?

A BLINDAGEM MAIS COMUM TEM DE 100 A 200 QUILOS. O AUTOMÓVEL FICA UM POUCO MAIS BAIXO E O TEMPO DE FRENAGEM AUMENTA. A RECOMENDAÇÃO É CALIBRAR OS PNEUS COM A PRESSÃO MÁXIMA.

COMO FICA O NÍVEL DE RUÍDO?

UMA BLINDAGEM BEM-FEITA NÃO CAUSA RUÍDOS. ACONTECE O OPOSTO. O VIDRO MAIS GROSSO E AS PORTAS RECHEADAS DIMINUEM O BARULHO DA RUA.

POSSO BLINDAR UM CARRO POPULAR?

PODE, MAS NÃO VALE A PENA. A BLINDAGEM, ALÉM DE SAIR PELO DOBRO OU TRIPLO DO PREÇO DO CARRO, REDUZ DEMAIS O DESEMPENHO DO MOTOR.

É MELHOR BLINDAR UM CARRO NOVO, UM USADO OU JÁ ADQUIRIR UM VEÍCULO BLINDADO?

DEPENDE DA CONDIÇÃO ECONÔMICA. QUEM ESTIVER SE APERTANDO DEMAIS PARA ADQUIRIR UM BLINDADO, DEVE PESQUISAR NO MERCADO DE SEMINOVOS, POIS HÁ EXCELENTES OPÇÕES, COM RELAÇÃO CUSTO-BENEFÍCIO BASTANTE INTERESSANTE.

 QUANTO PESA UMA BLINDAGEM E FAZ MUITA DIFERENÇA NO DESEMPENHO DO CARRO?

NÃO E SIM PORQUE NÃO SE PODE BLINDAR AUTOMÓVEIS COM POTÊNCIA INFERIOR A 90 CAVALOS, ENTENDA QUE UMA BLINDAGEM PESA EM MÉDIA 200 KG.

POSSO VISITAR A OFICINA PARA SABER COMO MEU CARRO ESTÁ SENDO BLINDADO?

MUITOS NÃO DEIXAM MAIS DEVE, ENTENDENDO QUE A TRANSPARÊNCIA FAZ PARTE DO PROCESSO.

DOS VÁRIOS NÍVEIS DE BLINDAGEM QUE EXISTEM, QUAL É O RECOMENDADO? 

O NÍVEL MAIS UTILIZADO NO MERCADO É O IIIA. É O QUE SUPORTA EM GERAL TODOS OS DISPAROS EFETUADOS POR ARMAS DE MÃO.

HÁ OUTROS NÍVEIS MENORES, MAS A RELAÇÃO CUSTO-BENEFÍCIO NÃO COMPENSA.

QUAL É A GARANTIA?

A GARANTIA PADRÃO É DE TRÊS ANOS.

ANTES DE BLINDAR UM USADO, CONVÉM FAZER UMA REVISÃO GERAL NO VEÍCULO?

É OBRIGAÇÃO PORQUE SE O CARRO TIVER ALGUM PROBLEMA A CULPA PROVAVELMENTE SERÁ COLOCADA NA BLINDAGEM.

QUANTO TEMPO DEMORA UM PROCESSO DE BLINDAGEM?

DE 15 A 40 DIAS ÚTEIS.

COMO IDENTIFICO UMA BLINDAGEM BEM-FEITA? 

NÃO É FÁCIL PORQUE OS BONS ACABAMENTOS PODEM CAMUFLAR BLINDAGENS RUINS. PODE PARECER ESTRANHO VER SEU CARRO TODO DESMONTADO, MAS É MELHOR ACOMPANHAR TODO O PROCESSO DE BLINDAGEM PORQUE LHE PROPORCIONARÁ MAIOR SEGURANÇA.

UM AUTOMÓVEL BLINDADO FICA MAIS OU MENOS SEGURO EM CASO DE COLISÃO? 

EM TESE NÃO EXISTEM TESTES CONCLUSIVOS PARA SABER SE FICA MAIS O MENOS SEGURO. A SEGURANÇA MAIOR É PROPORCIONADA PELA PRESERVAÇÃO DAS REGIÕES DE DEFORMAÇÃO DO VEÍCULO LEMBRANDO SEMPRE QUE AS BLINDAGENS DEVEM SER FEITAS EM VEÍCULOS QUE SEJAM EQUIPADOS COM AIRBAG.

BASTA BLINDAR O AUTOMÓVEL PARA SAIR TRANQÜILO ÀS RUAS? 

NÃO, UMA VEZ QUE NINGUÉM SABE AO CERTO QUE REAÇÃO TERÁ NO CASO DE UMA ABORDAGEM. NÃO FALTAM HISTÓRIAS DE PESSOAS QUE ACABARAM ABRINDO A PORTA POR SE ESQUECER DE QUE ESTAVAM EM UM BLINDADO.

QUANTO CUSTA BLINDAR UM AUTOMÓVEL?

TEM VARIAS FORMAS DE BLINDAR UM CARRO, PORTANTO MUITOS VALORES, O PREÇO DEPENDERÁ DO TIPO DE BLINDAGEM; BLINDAR É UM PROCESSO CARO E TRABALHOSO.

A BLINDAGEM DE CLASSIFICAÇÃO III-A É O NÍVEL DE PROTEÇÃO MAIS COMUM NO BRASIL.

CONFERE-SE O PESO ORIGINAL DO VEÍCULO. COM A BLINDAGEM, A CARGA ADICIONAL É DE CERCA DE 130 QUILOS, MAS PODE SER MUITO MAIS.

O VEÍCULO É TODO DESMONTADO. RETIRAM-SE A CAPA INTERNA DO TETO E O FORRO DAS PORTAS, BANCOS E VIDROS. FICAM SÓ LATARIA, MOTOR E PAINEL. A ESCOLHA DE UMA EMPRESA SÉRIA É IMPORTANTE TAMBÉM PARA GARANTIR QUE A REMONTAGEM SEJA CUIDADOSA.

COMEÇA A BLINDAGEM DA LATARIA. O TETO, AS PORTAS E TODAS AS PARTES PLANAS (COM EXCEÇÃO DO CAPÔ) SÃO RECHEADOS COM MANTA DE FIBRA DE ARAMIDA, MATERIAL USADO NA CONFECÇÃO DE COLETES À PROVA DE BALAS. QUANDO ATINGIDA POR UM PROJÉTIL, A MANTA DISTRIBUI E ANULA A ENERGIA PROPAGADA POR ELE, AMORTECENDO O IMPACTO.

CHAPAS DE AÇO INOX COM ESPESSURA DE 3 MILÍMETROS SÃO COLOCADAS NAS COLUNAS, NA JUNÇÃO DO VIDRO COM A LATARIA, NOS CANTOS DAS PORTAS, ATRÁS DA MAÇANETA E DOS PONTOS DE FIXAÇÃO DOS ESPELHOS RETROVISORES

AS RODAS RECEBEM UMA FINA CINTA DE METAL,  COM CERCA DE 2,5 MILÍMETROS, QUE IMPEDE OS PNEUS DE SE ESVAZIAREM, PERMITINDO QUE O CARRO PERCORRA CERCA DE 20 QUILÔMETROS NUMA VELOCIDADE BAIXA. ALGUMAS EMPRESAS ENVOLVEM A RODA COM UMA RÍGIDA FIBRA DENÁILON, COM ESPESSURA APROXIMADA DE 6,5 CENTÍMETROS. ELA NÃO DEIXA A RODA TOCAR NO CHÃO E O CARRO CONSEGUE PERCORRER CERCA DE 35 QUILÔMETROS A 80 KM/H.

OS VIDROS COMUNS SÃO RETIRADOS. NESTE NÍVEL DE BLINDAGEM, QUE RESISTE A TIROS DE MUNIÇÃO CALIBRE 44, A ESPESSURA DO VIDRO VARIA DE 18 A 21 MILÍMETROS.

CINCO LÂMINAS DE VIDRO COMUM SÃO FIXADAS UMAS ÀS OUTRAS, POR UM FILME PLÁSTICO. A PARTE INTERNA É REVESTIDA DE UM OUTRO FILME, O POLICARBONATO, TAMBÉM UTILIZADO NA FABRICAÇÃO DOS FARÓIS DE AUTOMÓVEIS CONVENCIONAIS. O POLICARBONATO EVITA QUE ESTILHAÇOS SE DESPRENDAM, CASO O AUTOMÓVEL SEJA ALVEJADO.

O CARRO É REMONTADO E, ANTES DE SER ENTREGUE AO CLIENTE, PASSA POR UM CHUVEIRO ONDE SE VERIFICA SE O ISOLAMENTO DA CABINE ESTÁ PERFEITO. CHECA-SE TAMBÉM A EXISTÊNCIA DE EVENTUAIS RUÍDOS.

quem regulamenta o mercado de blindados?

O Exército Brasileiro, através de sua Diretoria de Produtos Controlados, regula os aspectos documentais que, por lei, são exigidos na aprovação de venda de um veículo blindado para pessoas jurídicas ou físicas em todo o território nacional.

Da mesma forma esse órgão faz o mesmo tipo de controle sobre as empresas envolvidas no processo de blindagem de veículos (prestadores de serviço e fabricantes de peças blindadas).

Quais são os documentos necessários para se regularizar um carro blindado?

Para o carro: autorização de blindagem (emitida pelo exercito), registro da blindagem junto ao exército e o Detran e certificado de inspeção no INMETRO.

Para o proprietário: conjunto de documentação mostrando a idoneidade da pessoa (certidões criminais), atestado de residência e documentos pessoais.

Quais  documentos devo pedir para comprar um carro blindado usado?

Todo veículo deve possuir no documento de propriedade a inscrição “veículo blindado”. Isto é a prova de que o veículo teve todo o procedimento legal cumprido.

Como fica a garantia de um veículo 0km após a blindagem?

Normalmente as montadoras e suas concessionárias “fecham os olhos” para o fato do veículo ter sido blindado, mantendo a garantia de fábrica para os itens não afetados pela blindagem, principalmente a parte mecânica

QUAL É A SUA DÚVIDA ? BASTA PERGUNTAR….

AS VANTAGENS E DESVANTAGENS DE UM CARRO BLINDADO

As vantagens e desvantagens de um carro blindado

Rio – As portas são mais pesadas, mas fecham com suavidade. Para falar com o mundo exterior, apertamos um botão sob o console e ligamos o pequeno microfone localizado na coluna dianteira – que também aciona alto-falantes externos e internos, e assim ouvimos o que se passa do lado de fora. Estamos em um carro blindado, o Honda Civic LXS 2010 cedido pela Safe Guard. É um teste diferente, no qual o modelo do automóvel é o que menos importa.

Para o teste utilizamos o Honda Civic LXS 2010, cedido pela Safe Guard.

Blindados são parte do cenário das grandes cidades. Em 2010, mais de 7 mil carros receberam proteção especial no Brasil. Mas andar em um automóvel com alterações tão extensas requer adaptação.

O Civic recebeu blindagem nível III-A, a proteção máxima permitida pelo Exército, mediante uma extensa lista de documentos e certidões. No primeiro dia, estranhamos um pouco. Com 230 quilos extras concentrados principalmente na área dos vidros, o Honda parece outro carro. As reações ao volante são mais lentas, anestesiadas. As freagens ficam prejudicadas e, nas curvas, o automóvel tende a sair de frente. Mas logo nos acostumamos, e dirigimos sem levar sustos. Era como se o carro estivesse com quatro ocupantes. O câmbio automático de cinco marchas trabalhava freneticamente para manter o ritmo, e o Civic sofria um pouco em subidas mais íngremes.

Não há grandes mudanças mecânicas, apenas a troca das molas traseiras por um conjunto mais firme. Já a colocação da blindagem dá um trabalho e tanto. As portas são alargadas para receber placas de aramida (tecido sintético de altíssima resistência) e vidros com até 21mm de espessura, compostos pelo sanduíche que inclui uma camada de policarbonato. Partes de aço moldado com 3mm de espessura são utilizadas em larga escala.

A aramida usada no Civic é composta por nove camadas sobrepostas e entremeadas por neoprene, material usado em roupas de mergulho. O objetivo é evitar o acúmulo de água, que pode estragar as fibras do tecido. Os vidros fornecidos pela empresa AGP têm boa transparência e não observamos distorções. Pelas janelas, o mundo fica ligeiramente esverdeado. E silencioso. A blindagem aumenta o isolamento acústico, e mesmo os pingos de chuva grossa não perturbam a paz interior. Transformar o Civic em bolhade segurança custou R$ 44 mil.

Não há grandes mudanças mecânicas, mas as portas são alargadas para receber placas de aramida, tecido sintético de altíssima resistência e vidros com até 21mm

Todo o carro é desmontado para a colocação da blindagem. As janelas ganham molduras de aço pintadas de preto, para não interferir no visual. Como acontece na maioria dos blindados, só as janelas dianteiras do Honda se abrem, e pela metade. Um pequeno amortecedor instalado dentro da porta ajuda no trabalho de subida do vidro – demora mais para abrir do que para fechar.

A montagem do Civic após a instalação da blindagem foi impecável e o carro não apresentou falhas de acabamento ou ruídos nos quatro dias de avaliação (percorremos 214 quilômetros). Mas, com o tempo, é provável que surjam barulhos. ”Como a blindagem aumenta o isolamento acústico, qualquer barulho se torna mais perceptível. E o uso cotidiano, com passagem por buracos, pode gerar ruídos. Afinal, o carro passa por uma grande mudança”, explica Philippe Balbi, sócio da Safe Guard.

Há oito anos no mercado, a empresa faz, em média, 15 blindagens por mês. É um trabalho longo: demora de 20 a 30 dias, boa parte esperando a chegada dos vidros feitos sob medida para cada modelo.

‘Armadura’ não valoriza o carro usado - A blindagem do Civic custou R$ 44 mil e incluiu pneus flat over, que trazem um aro de borracha sobre a roda que permite rodar a cerca de 60km/h com o pneu vazio, sem maiores danos. A proteção mais comum é composta por cintas de aço, que evitam que o pneu se desprenda da roda, mas rapidamente destroem o conjunto. O retorno do investimento está na segurança – não se deve esperar pela valorização do carro. Com o passar dos anos, um blindado valerá o mesmo, ou até menos, que um modelo sem “armadura”. Isso acontece pelo desgaste maior e pelos valores de manutenção.

Enquanto está na garantia (geralmente de três anos), um blindado não apresenta despesas muito maiores que as de um carro convencional – a não ser pelo consumo de combustível, que aumenta devido ao peso. Porém, quando é preciso pagar para resolver um problema, é bom estar preparado.
Trocar um para-brisa blindado custa cerca de R$ 4.500. Além do custo da peça, são precisos dois funcionários e horas de mão de obra para retirar o vidro defeituoso. Uma janela lateral sai por R$ 2.600.

O maior problema que afeta os vidros é a delaminação, que ocorre quando a camada de policarbonato se descola, causando distorções e até manchas que atrapalham a visibilidade. É possível resolver o problema sem trocar a peça – custa entre R$ 850 e R$ 1 mil. Contudo, trata-se de uma solução paliativa, que raramente dura mais de oito meses.

O maior problema que afeta os vidros é a delaminação, quando a camada de policarbonato se descola, causando distorções que atrapalham a visibilidade

Sensação de segurança muda os hábitos  – O cliente tradicional de blindados sabe desses gastos com manutenção. Por isso, costuma trocar de carro sempre que a garantia chega ao fim. E quem compra um dificilmente voltará a guiar veículos sem este tipo de proteção. “Há casos de clientes que têm três carros na casa e escolhem um para blindar. Com o tempo, todos da família só querem usar aquele veículo, e depois o proprietário acaba por fazer o mesmo serviço nos outros”, diz Philippe.

Episódios de violência fazem aumentar a procura. Em 2007, no mês seguinte à morte do menino João Hélio, a procura por blindados dobrou no Rio de Janeiro. No final de novembro, quando houve os ataques dos traficantes que precederam a ocupação da Vila Cruzeiro e do Complexo do Alemão, os pedidos também aumentaram. E todos querem carros para pronta-entrega, o que nem deveria existir – a blindagem só pode ser feita após o Exército conceder a autorização ao comprador. A blindagem nível III-A tem que suportar cinco tiros de um revólver Magnum 44 concentrados em uma área equivalente à de um triângulo com vértices de 15 centímetros. Suporta também disparos de pistolas .40 e 9mm. Mas para resistir a tiros de fuzil, só mesmo um Caveirão.

O mercado de blindagem movimenta grandes cifras e já tem uma rede bem estabelecida de serviços no Brasil, seja de venda, manutenção ou aluguel de veículos. Empresas do setor fazem parcerias com redes concessionárias – a Associação Brasileira dos Distribuidores Toyota acaba de fechar um acordo com a Protection Blindagens, por exemplo. O Corolla, aliás, é o carro mais blindado do mercado nacional.

O público é variado. Há executivos que recebem sedãs da empresa; famílias que buscam proteção para os filhos e blindam compactos; empresários cujos estabelecimentos ficam em locais de risco; e gente que apenas tem medo.

Aumentar pressão dos pneus melhora dirigibilidade  – Mas é preciso saber que a blindagem causa alterações no comportamento no carro, o que exige algumas mudanças. Uma destas é aumentar a pressão dos pneus para melhorar a dirigibilidade (pode-se usar a calibragem para carga) – afinal, sempre há quilos extras sendo permanentemente carregados.
É bom saber qual é a capacidade máxima de carga suportada pelo veículo para evitar problemas. É como colocar uma cerca eletrificada ao redor de casa: vai aumentar a segurança, mas não ficará bonito.

Fonte: por Eduardo Sodré | Fonte: O Globo